fbpx

Qual o modelo pedagógico ideal para o seu filho?

No Brasil, estamos acostumados ao modelo pedagógico de educação tradicional. Isso porque, durante muito tempo, o padrão da escola com as crianças sentadas em filas, o professor como centro da educação e as provas e avaliações formais foi a única realidade do país. Contudo, nas últimas décadas, principalmente a partir dos anos 70 e 80, novas formas de educação surgiram entre as instituições brasileiras de ensino 

Qual é o modelo pedagógico ideal então?

Antes de tudo, é necessário levar em consideração que a resposta correta para essa pergunta dependerá das expectativas da família e quais os modelos se encaixam melhor naquilo que é esperado para a educação dos filhos

Detalharemos alguns dos modelos pedagógicos adotados no Brasil para te ajudar a entender melhor cada um deles! 

 

1.Escola Tradicional

Muito questionada nos últimos tempos, mas ainda predominantes no Brasil, as escolas tradicionais foram criadas no século XVIII na Europa. Nela, o modelo de ensino e avaliação são padronizados. O professor, como transmissor de conhecimento, é visto como a figura principal da sala de aula. 

O aprendizado tem como o objetivo o maior acúmulo possível de informações para provas de vestibulares e ingresso em universidades. Dessa forma, para que o estudante seja capaz de ser uma pessoa crítica e questionadora, ele, necessariamente, deve ter uma base de conhecimentos concretos.  

Nesse modelo pedagógico, também conhecido como “conteudista”, existe a ideia de reprovação, quando os alunos não cumprem com as metas esperadas para o ano vigente. A avaliação é feita por meio de lições de casa, trabalhos e provas, que medem a quantidade de conteúdo que foi memorizada/absorvida. Um dos índices de sucesso é a aprovação dos alunos no vestibular. 

Modelo pedagógico ideal

A criança como protagonista da sua aprendizagem

2.Escola Freiriana 

Baseada nos conceitos do filósofo, educador e pedagogo brasileiro, Paulo Freire, essa pedagogia leva em consideração os aspectos humanos, sociais e culturais dos alunos. Alguns dos princípios defendidos são o respeito, a tolerância, curiosidade e humildade. Segundo Freire, o conhecimento faz sentido para o estudante quando o transforma em sujeito que pode transformar o mundo, sendo então a educação uma forma de “libertar” o aluno. Nesse modelo pedagógico, não se usa avaliações e nem provas. 

A escola freiriana também é conhecida como Educação Libertadora e propõe o desenvolvimento da visão crítica do aluno por meio das práticas em sala de aula. Dessa forma, o professor deve apresentar os conteúdos para o aluno, mas não como uma verdade absoluta, pois na educação que Paulo Freire defendia o professor e o aluno aprendiam juntos. 

3.Escola Construtivista 

O seu método foca no aprendizado como construção, de forma que as crianças entendem o mundo por assimilação, tendo sempre a realidade como referência, ou seja, o conhecimento prévio é usado para entender novos conteúdos. Os estudantes são colocados em situações em que são estimulados a pensar soluções para problemas propostos. O intuito é fazer com as que pessoas criem novas, no lugar de apenas reproduzirem o que já foi feito. Outro objetivo é proporcionar a formação crítica, por isso, os professores devem orientar os estudantes em relação a aprendizagem autônoma, ou seja, são considerados facilitadores. 

Em uma escola construtivista, o objetivo é que o aluno adquira autonomia. Embora o construtivismo não preveja a realização de provas de avaliação, muitas escolas brasileiras que adotam essa filosofia de ensino as aplicam. Nesse modelo pedagógico, o aluno é o protagonista do seu processo de aprendizado. Dessa maneira, o conteúdo e o ensino se tornam guias e ferramentas para que os estudantes construam o seu conhecimento por meio da resolução de problemas e formulação de hipóteses, valorizando assim os conteúdos e vivências anteriores de cada um. Não existe ninguém para dar as respostas, o aluno aprende a aprender. 

4.Escola Waldorf 

A pedagogia Waldorf foi idealizada pelo filósofo austríaco Rudolf Steiner e leva esse nome pois seus primeiros estudantes trabalhavam na fábrica alemã Waldorf Astoria. Seu principal objetivo é formar um adulto seguro e equilibrado. A premissa de Steiner é que a escola forme seres humanos por meio de uma “’educação para liberdade”. 

Ela procura estabelecer o equilíbrio entre os aspectos cognitivos e o aprendizado de trabalhos manuais, artísticos e atividades corporais, o que possibilita, simultaneamente, o desenvolvimento físico, social e individual da criança. 

Apesar de existirem testes e provas, os alunos são avaliados por meio da execução de trabalhos, comportamento, empenho e dificuldade que o estudante tem com aquele conteúdo. Além das disciplinas obrigatórias, é comum a presença de aulas de jardinagem, crochê e tricô, trabalhos manuais, meteorologia, marcenaria, ginástica, teatro e astronomia. 

A cada ciclo de sete anos (0 a 7, 7 a 14, 14 a 21), a criança tem um único “tutor” que deverá servir como referência ao aluno, que, ao exemplo do que ocorre no construtivismo e com as ideias de Montessori, é o foco dessa filosofia de ensino. 

Nessa abordagem, a avaliação engloba aspectos vão além do conteúdo. Habilidades sociais, virtudes, interesse e força de vontade são observadas pelos professores por meio das atividades diárias. O mais importante para essa pedagogia são as etapas de desenvolvimento do estudante. 

5.Escola Montessoriana 

A escola Montessoriana foi criada pela médica e pedagoga italiana Maria Montessori. De acordo com essa metodologia, as crianças devem fazer as descobertas por meio das experiências, da prática e da observação, ou seja, elas devem buscar sua autoformação. 

O foco está nos alunos, sempre levando em consideração que cada pessoa tem um ritmo de aprendizagem próprio. Cabe ao educador propor atividades motoras e sensoriais e remover os obstáculos do aprendizado, sempre guiando e orientando os estudantes. Esse processo proporciona o desenvolvimento de indivíduos independentes, confiantes, criativos e com iniciativa. 

As turmas são pequenas, e geralmente nas classes há crianças de todas as idades. Durante o período que se dedicou à educação, Maria Montessori desenvolveu uma série de materiais, até hoje usado nas escolas Montessorianas. Podem, ou não, ter a aplicação de provas, dependendo da própria escola. 

O foco dessa linha — que busca respeitar o ritmo de cada um — está no aluno, e o papel do professor é guiá-lo e orientá-lo. 

6.Escola Comportamentalista 

Aqui, o objetivo é moldar o estudante para as necessidades sociais, fazendo com que eles tenham comportamentos desejados, a partir de estímulos que são recompensados quando o objetivo é atingido. Os professores controlam o tempo e as respostas dos alunos, dando feedbacks constantes. 

Isso possibilita que o desempenho dos estudantes seja completamente mensurado. Outro ponto a ser ressaltado, é que o ensino e os materiais didáticos são rigorosamente planejados e controlados. As avaliações são feitas por meio de provas e resultados satisfatórios são recompensados. 

A pedagogia comportamentalista tem como objetivo moldar o aluno conforme as necessidades sociais, fazendo com que ele adquira comportamentos desejados. Isso é feito com controle do professor e mensuração dos resultados através da avaliação da técnica e dos processos utilizados. O ensino é planejado, e os materiais didáticos, programados e controlados. A avaliação é feita por meio de provas e os resultados, recompensados. 

Modelo pedagógico

Sala de aula com poucos alunos para uma melhor interação com o professor

7.Socioconstrutivista 

Uma vertente da construtivista, é baseada nas ideias do bielo-russo Lev Vygotsky. De acordo com ele, o conhecimento é adquirido a partir de relações interpessoais, ou seja, que os alunos aprendem a partir de relações com grupos sociais, outros alunos, professores e experiências. 

Esta linha pedagógica acredita que o conhecimento não deve ser passado pronto do professor para o aluno. Por esse fato, a escola que escolhe esse modelo, estimula a criança ou jovem a aprender a partir de suas experiências. Através de discussões, interação em grupos sociais, formulação de hipóteses e múltiplas situações o aluno compreende novos pontos de vista e adquiri os conhecimentos necessários. Os erros são o trampolim para o aprendizado e não uma falha. 

Aqui na escola Casa de Brinquedos, utilizamos a metodologia socioconstrutivista, ou seja, o conhecimento não é algo “pronto que é passado do professor para o aluno”, mas sim um direcionamento para que a criança aprenda com suas próprias experiências. A sala de aula conta com poucos alunos para que a relação do professor com o aluno seja a mais próxima possível. Promovemos as discussões e interações entre os grupos, para que formulem suas próprias hipóteses e compreendam diferentes pontos de vista. 

Como escolher o modelo pedagógico ideal para o meu filho? 

Antes de tudo, deve-se levar em consideração quais são as expectativas da família e qual modelo pedagógico que melhor se encaixam naquilo que é esperado para a educação dos filhos.  

Também é importante observar os sinais que os pequenos dão aos pais e familiares: 

  • Se sentem felizes e entusiasmados em ir à escola; 
  • Apresentam um desenvolvimento significativo, um bom ritmo de aprendizado e se contam coisas positivas. 

Na hora de fazer a matrícula das crianças é importante alinhar as expectativas em relação à escola, observar e conhecer a fundo como esses conceitos são trabalhados na prática e como as atividades serão desenvolvidas no decorrer do ano letivo. 

Para fazer uma escolha adequada, é preciso também considerar se o projeto pedagógico e a metodologia de ensino da instituição estão de acordo com os valores e as crenças familiares. Cada modelo pedagógico tem seus prós e contras, tudo depende de como é implementado e da adaptação dos alunos e da família com o processo. 

Atividade colaborativa

Atividade colaborativa

Dicas para definir a modelo pedagógico para o seu filho: 

Lembrando que não existe uma resposta certa ou método melhor! O importante é acompanhar o desenvolvimento de cada criança e como ela se adapta no modelo pedagógico escolhido. 

Algumas escolas mesclam características de mais de uma pedagogia ao mesmo tempo. Porém, é importante lembrar que a metodologia de ensino é apenas um dos fatores que compõe a forma de dar aula. Como falamos anteriormente, o ideal é analisar se as características do modelo pedagógico adotado na escola se adequam a personalidade e forma de desenvolvimento de cada criança. 

A educação infantil é uma etapa fundamental da formação de todos os indivíduos, por isso ela deve ser levada muito a sério. Na hora de efetivar a matrícula em uma escola é preciso levar em consideração, além do desenvolvimento da criança, do espaço físico e do valor da mensalidade, se a proposta da escola está alinhada aos valores e crenças familiares. O que diferencia cada uma delas é basicamente a forma como vão abordar o ensino, o papel do aluno e dos professores. 

 

Campanha Matrículas